A crise, doi mais aqui.

Nosso estado é um exemplo de "modernidade".
Nosso governo tornou-se o legitimo representante do projeto da globalização, todo "modernoso".
Investimentos na area social ? Pra que? O mercado vai resolver.
E tome caos na saude e receba o trofeu do estado mais violente do pais.
Mas isso é passagerio.
O mercado vai resolver.
Segundo um jornal da "modernidade" daqui:
"O peso do comércio internacional no PIB capixaba é de 50%,
enquanto a média nacional é de 21%. A influência do comércio
internacional, o impacto que ele gera em outros setores é ainda maior,
atingindo 70% da economia local."
"No primeiro trimestre de 2009, as importações foram reduzidas em cerca de 15%. Segundo o vice-presidente do Sindicato do Comércio de Exportação e Importação do Espírito Santo (Sindiex), Marcílio Machado, o que segurou a queda nos primeiros três meses do ano foram os pedidos feitos no final do ano passado, quando a crise ainda estava começando.

No caso das exportações, as maiores dificuldades estão na mineração - Vale e Samarco - e na siderurgia - ArcelorMittal Tubarão. Os dois setores respondem por 70% das exportações capixabas. Em 2008, foram vendidos US$ 7 bilhões. Neste ano, as vendas não devem passar dos US$ 4 bilhões. Ou seja, só aí já foram 30% de tudo o que foi exportado pelo Estado no ano passado.

"Seis das sete usinas da Vale estão paradas. Na Samarco, a situação é a mesma, e na Arcelor, um alto-forno está abafado, e os outros dois não estão funcionando na plena capacidade. Além disso, apesar de ter uma participação pequena, o setor de mármore e granito também não está bem das pernas. Sobra apenas a Aracruz Celulose, que não perdeu em volume, mas acabou perdendo em preço. O café consegue manter o patamar. Este ano, vamos voltar aos níveis de venda de 2006", disse o presidente da Federação das Indústrias do Estado, Lucas Izoton."

Tudo isso fruto do projeto neo-liberal do nosso governo.

É triste mas : graças a crise internacional nosso estado não será completamente destruido.

Nenhum comentário: