Nobel da Paz denuncia plano de golpe na Guatemala

RMenchu.jpg

Riboberta Menchú expressou que o golpe de Estado não será executado por militares, mas pelo "setor econômico que impõe suas normas e leis". Segundo a ganhadora do Prêmio Nobel da Paz de 1992, a primeira tentativa ocorreu durante a crise gerada pela morte do advogado Rodrigo Rosenberg, em maio.

Ele deixou uma filmagem na qual acusa como responsáveis por sua morte o presidente Álvaro Colom e funcionários do governo.

Para a guatemalteca, ocorrerá em seu país o mesmo que se passou em Honduras, quando em 28 de junho o presidente constitucional Manuel Zelaya foi deposto pelas próprias forças políticas.

As declarações de Menchú fazem eco às dadas na semana passada pelo venezuelano Hugo Chávez e pelo boliviano Evo Morales. O governo de Colom afirmou que vai pedir aos líderes que forneçam mais informações sobre a tentativa de golpe.

Ao mesmo tempo, o hondurenho Manuel Zelaya chegou nesta quarta-feira (15) à Guatemala para se reunir com o colega guatemalteco.

Nenhum comentário: