Estaca zero

A decisão da direção nacional do PT, de revogar o apoio do diretório regional à candidatura do vice-governador Ricardo Ferraço (PMDB/foto) ao governo do Estado, atendendo a recurso da deputada federal Iriny Lopes (PT) e do subsecretário de direitos humanos, Perly Cipriano(PT), praticamente zera o processo eleitoral que corria a todo vapor por aqui. Por mais que possa ter efeito diferente no futuro, o posicionamento representa, agora, deixar a candidatura de Ferraço. Para um nome que vinha sendo conduzido para se consolidar como candidato único, dada à dificuldade eleitoral do vice-governador, significa,na verdade, a perda de seu melhor aliado. Pois o PMDB, por mais amplo que seja, em matéria de imagem para o eleitor sempre foi fraco. É uma sigla boa para eleger prefeitos e parlamentares. Já para governador, precisa de muito oxigênio de outros partidos. De certa forma, é um golpe na marcha sem obstáculos que seguia no Estado, agregando prefeitos e deputados. Mais grave ainda: tira a eleição da tela este ano. Ferraço continuará caminhando por ai em busca de votos, mas sem a estrela do PT no peito, até então, sua melhor condecoração.

Nenhum comentário: