Cobertura médica subiu de 21% para 95% em dez anos

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou durante a reunião do Conselho de Ministros em Caracas, no último dia 06, que a Venezuela dispõe de assistência médica gratuita para atender a mais de 15 milhões de venezuelanos.

Chávez afirmou que em 1999, ano em que assumiu a presidência do país, apenas 21% dos venezuelanos tinham cobertura médica assegurada, enquanto que em 2009, a cifra é de 95% da população.

No último domingo, dia 04, durante o programa "Alô Presidente", Chávez inaugurou o Centro de Diagnóstico Integral (CDI) de número 499 e saudou a construção de 6.700 consultórios populares destinados a garantir a prevenção e tratamento de doenças.

O presidente venezuelano destacou as atividades desempenhadas pelos CDIs, e citou como exemplo o CDI situado na paróquia 23 de Janeiro, na periferia de Caracas. Chávez explicou que em dois anos de funcionamento o CDI já atendeu a mais de 100 mil pessoas, registrou mais de 10 mil internações e realizou mais de 400 mil exames laboratoriais.

"É imensurável o impacto dos CDIs em um bairro onde não havia nenhum médico", afirmou Chávez.

Chávez recordou que os centros de saúde atendem 24 horas ao dia "a quem chegue e a quem necessite", nos diferentes hospitais, ambulatórios, consultórios, Centros de Diagnóstico Integral e salas de reabilitação, distribuídos em todo o território nacional.

"O governo nacional está dando o exemplo com trabalho e mais trabalho para garantir a saúde e vida a todo o nosso povo", afirmou o presidente venezuelano.
Chávez enfatizou a importância da "Missão Bairro Adentro", programa social, desenvolvido em parceria com o governo de Cuba, com o objetivo de reestruturar o sistema de saúde venezuelano, que foi desmantelado e privatizado pelos governos anteriores.

Com o programa Bairro Adentro, foram criados consultórios populares, CDIs, Salas de Reabilitação, Centros Médicos de Alta Tecnologia, Clínicas Odontológicas, Óticas Populares e Pronto Socorros em toda o território venezuelano. "Que já salvaram a vida de mais de 200 mil venezuelanos como parte das políticas do governo nacional na saúde", segundo destacou o líder venezuelano.

Chávez recordou que atualmente trabalham no país cerca de 30 mil cubanos, entre odontologistas, oftalmologistas, especialistas e enfermeiros.
"O Bairro Adentro é o marco, o piso do novo sistema de saúde pública que demanda a Constituição Bolivariana, uma mostra de que o Sistema Nacional Público de Saúde está nascendo", assegurou.

O líder venezuelano ressaltou que atualmente cerca de 25 mil venezuelanos estão cursando medicina integral comunitária, com o objetivo de substituir os médicos cubanos gradativamente.

"Mais de oito mil destes jovens estudantes passarão ao 5° ano de medicina, e a partir de 1° de janeiro de 2010 irão trabalhar nos hospitais e concluir ali seus últimos dois anos de estudo", enfatizou. Chávez destacou que estes estudantes serão os médicos novos do povo, "aqueles que substituirão aos cubanos, quando estes últimos regressarem à sua pátria".

O presidente destacou que há uma década, na Venezuela havia somente 20 médicos para cada 100 mil habitantes, e que atualmente são 71 médicos para cada 100 mil.

O líder venezuelano relembrou que há dez anos só havia no país 4.804 ambulatórios e unidades básicas, enquanto que hoje a cifra já chega a 11.515 centros.

Xerox : : Horadopovo

Nenhum comentário: